07/02/2018 - G1     Twitter  Facebook  Google+  LinkedIn

A reunião do Copom marcada para esta quarta-feira (07/02) acontece em um momento de maior tensão nos mercados financeiros, que reagem a dados, divulgados na semana passada, de que os salários avançaram 2,9% nos Estados Unidos em janeiro - a maior alta anual em nove anos.

Essa variação pode indicar que as pressões inflacionárias estão mais fortes nos EUA e influenciar as futuras decisões do Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA) sobre a taxa de juros americana, que, segundo analistas, pode acabar subindo mais do que os 0,75 ponto percentual esperado até o momento para 2018.

Uma eventual alta maior dos juros influencia negativamente o mercado de ações do país e de outras nações. Isso porque esse aumento representaria mais juros pagos nos títulos públicos dos EUA, atraindo recursos de todo mundo, inclusive do Brasil.

Uma das consequências para a economia brasileira pode ser a pressão de alta sobre o dólar, o que não é bom para a tendência da inflação nos próximos meses, pois os produtos e insumos importados ficariam mais caros. Quando isso acontece, geralmente há repasse para os preços internos.

 








19/06/2018 - G1
Dólar sobe a R$ 3,76 com ameaça de guerra comercial e incertezas eleitorais
 mais...
19/06/2018 - G1
Sem reformas, governo deixa "camisa de força" para próxima gestão
 mais...
19/06/2018 - G1
PIS-Pasep: saques não devem impulsionar o PIB como FGTS inativo
 mais...
19/06/2018 - G1
Recusas ao bafômetro superam flagrantes
 mais...
Página Inicial  .:.   Informações de Publicidade  .:.   Patrocinadores  .:.   Entre em Contato  .:.   Twitter  Facebook  Google+  LinkedIn
© 2004 - 2018 - Clube das Luluzinhas Executivas de Seguros
Tecnologia EBTI